08/08/19

Hoje acordei com a saudade a saber-me a sal.


06/08/19

seiva


Transformar o sangue em seiva.
Os braços em ramos. As mãos em pássaros.
Depois partir num voo de marcos, mundo, marés.
E encontrar-me aos poucos onde me deixei cair.
E reconstruir-me depois de mim, inteira.
Plantar-me outra vez na vida.

01/08/19

só sei que


a parte que mais gosto de mim é aquela que nem eu às vezes consigo ver.

19/07/19

coisas

Desde há uns anos para cá que adotei a mania de falar nas coisas só depois de elas acontecerem.
Acho que esta é uma das decisões que se tomam com o avançar da idade.
É cauteloso, mas também pode perder a intensidade do momento.
Tem as duas faces. Mas também quase tudo tem dois pontos de vista.
Só a minha cabeça é que não. Podia ter dois. Mas tem várias dezenas.
Acordar todos os dias na minha cabeça é uma coisa que pode ser uma aventura ou um pesadelo.

Arquivo