16/05/18

da Primavera e das coisas


a Primavera dá-me para ver coisas
onde não existe coisa nenhuma.

14/05/18

do "não" renascido


Não tenho qualquer dúvida, hoje, do tanto que se aprende com a partilha, a dor, a resignação e o bem.
Este ano recebeu-me aos arremessos. De notícias menos boas, de mudanças inequívocas, de paradigmas alterados.
Quando tudo começou achei que não ia, que não queria, que não podia ser, que não era justo, que não era merecido, que não era assim, que não, que não, que não.
Passados quase 5 meses, a palavra “não” aparece-me renascida, vestida de terra, junho, esperança e paz.
Vou regá-la, remexê-la com as mãos e as verdades e as vontades e os entardeceres da primavera.
E vou continuar feliz, em pequeninas partículas de tempo, porque continuo, ainda hoje, a aprender, coisas novas sobre mim.

04/05/18

i know what i like and i like what i know


ele disse-lhe:
- veste o que quiseres.
ela perguntou:
- posso vestir-me de qualquer coisa?
ele acenou que sim com olhar curioso.

então, como de muitas outras vezes, ela vestiu-se de nu.

20/04/18

está.



Está nos lábios das meninas, nas bochechas das crianças,
nos galhos jovens das árvores
na madrugada sonolenta de aromas.
está nas sandálias das mulheres e nos seus cabelos.

está em mim, a Primavera, hoje.
como se nunca tivesse estado.

Arquivo