04/12/07

and that's it

sim às vezes tenho vontade de cortar o que não é de cortar e de ler o que é ilegível de meter a cabeça dentro de um alfinete ou desafiar uma cebola para jogar comigo uns dados de fazer contas com os miúdos da primária a contar pelos dedos de me meter dentro do miolo de um pão e caber nas prateleiras de um hipermercado de ser magra como um palito e sim sou estranha quando posso ser e gosto de o ser e sou quando escrevo coisas e sim ouço vozes nas plantas e nas colheres de sopa e sim sinto os braços tão grandes capazes de chegar ao céu ou a Badajoz e sim sinto-me parecida com um termo ventilador e pequena capaz de caber num grão de arroz e andar de boca em boca e grito fininho e imito o capitão do espaço 1999 e torno-me gás ou num sapato e sim rio sem me sorrir e sim escrevo sem nexo porque é bom não ter nexo em certos momentos e sim tenho cócegas nos pés e de repente torno-me a maior realizadora de portugal e sim às vezes sou isto tudo e acredito que posso ser o que quiser e outras vezes não e sim olhar para as imagens e deixar que elas nos digam escreve Laura escreve sempre miúda grande o que te vai na alma e não te preocupes e escrevo.
And that’s it.

Fot. cornelia hediger

3 comentários:

marisa disse...

adoro, adoro , adoro. é daqueles textos que estao perfeitos. nem a mais nem a menos, as palavras exactas, e o que elas nos querem dizer solta-se e invade-nos rodopiando na nossa alma. that´s it.

P.S como te reconheço neste texto!

JRL disse...

como me fizeste sorrir.. :) está tão original, tão espontâneo! Bj de admiração.

laura disse...

marisa, é verdade. sou tão assim... mas acho que todos somos um bocadinho, às vezes, não?
joana, obrigada pelas tuas palavras.
um beijo para as duas.

Arquivo