22/05/09

de mim, com amor.

deixo-te água, de mim.
a que me cresce na boca porque te desejo
a que me cai dos olhos quando a saudade me sabe à tua boca.
dou-te, esta água pequena, de mim.
suor das noites em que não te encontro
gotas do amor que faço, contigo, mesmo quando não estás.

5 comentários:

~pi disse...

... que lhe saiba

a ele

( ao dono

desse amor

o gosto

mais

profundo

da

cor-rente,







~

PAS[Ç]SOS disse...

... para que as palavras matem a sede dum arrepio na pele.

Teresa disse...

... gosto de amor.

Carla disse...

escorrem gotas em palavras encantadas
beijo

jardinsdeLaura disse...

Laura,

Pequeno este teu texto mas duma beleza intensa! Gostei!

Arquivo