07/05/09

"tenrinha"



uma das coisas que mais gosto, que a minha mãe me ensinou, foi a descrever um estado de espírito pelo nome de “tenrinha”.
estar tenrinha é estar mole mas desperta, nostálgica mas satisfeita, cansada mas extremamente criativa.
é pois, uma coisa que eu sinto desde miúda, contraditória mas que o balanço final me faz ficar… bem.
e de facto várias coisas me fizeram ficar assim.
primeiro, o ter que me desdobrar em varias lauras durante o dia, para trabalhar, estudar, fazer ginástica, escrever historias mentais, dar mimos aos pais, aos gatos, arrumar a casa, cozinhar, estender roupa, dobrar roupa. coisas pequenas, eu sei, mas muitas.
depois aproxima-se o treze de Maio e eu fico muito pequena. sei que anda uma data de gente, por esse país, a ir a pé a Fátima e isso comove-me. enternecem-me os coletes reflectores daquela gente apoiada em paus que se movem ao sabor da fé. tenho inclusive uma pessoa muito próxima que está a deslocar-se a pé, neste momento, para Fátima. caminha kilometros, dorme em tendas, come o que calha. mas está feliz.
e depois descobri recentemente, pelas mãos sábias de alguém, uma coisa que me tem deixado assim numa espécie de limbo. entre o cair suicidariamente no reino do cinema francês ou fechar-lhe a porta e deixá-lo arrumado para não me consumir a cabeça pois tenho muito que estudar. mas não consigo, estou mergulhada nos museus do liberalismo e nas acções de Passos Manuel e aparece-me de repente o Léon, homem maduro, assassino profissional, com um ar desgraçado e lindo, a falar com aquela miúda de 10 anos que mais parece ter 40.
e fico “tenrinha” de repente e sem forças, só me apetece dançar e escrever e comer chocolate, em vez das patelas de milho que me tiram a fome.
pronto, quis dividir isto com vocês, que me lêem, e quem sabe me possam contar como se sentem “tenrinho(as)” e se este termo foi engendrado pela Natércia…

10 comentários:

~pi disse...

lindo como algodão

de nuvem

tenrinho

como fonte

de adro :)






~

Teresa Durães disse...

também surpreende-me as pessoas que vão a Fátima a pé. Gostava de ter essa fé (pq não tenho nenhuma)

lysaveta disse...

Eu diria que estou isso mesmo,tenrinha de todo :)

mfc disse...

Tenrinha... Que termo mais giro!
Gostei!

Patti disse...

Esse tenrinha é adorável.

Eu costumo dizer que estou ‘no ponto’. Para conversar, passear, escrever e observar.

Chocolate…sempre, infelizmente. Todas as noites, o tal do M-Joy de caramelo.

Ah e Mathilda e León? Lindo!

A.S. disse...

As "Lauras" em há em ti serão certamente tenrinhas, mas todas elas vivem intensamente cada segundo... ainda com tempo para teflectir sobre realidades tão complexas como a Fé!...


BjO´ss

Mika disse...

Tenrinhos ou duros de roer, são estados nossos comuns.
A pena flui de forma mais solta quando é tocada pelo que nos faz parar... uns pensam, outros esquecem, alguns nem notam, muitos fingem que nem vêem, outros riem...e os raros, escrevem.

As pétalas de milho são fantásticas mas com queijo fresco ou manteiga de amendoin...mas nesses estados "tenros" em que te sentes e me revejo, se não queres aderir ao "cacau" fica-te pelo meio termo e experimenta as barras crocantes de sésamo. Em qualquer lojinha de produtos dietético... Eu sou fã compulssivo.

Abraço "Tenrinho"

Miguel

pb disse...

Esse termo " tenrrinha " é assim a modos que um termo fofinho, carinhoso, gostei dele. As pessoas a pé a Fátima...admiro-lhes a fé, a crença, talvez porque em mim a fé extinguiu-se e a crença anda muito desacreditada. bj

vida de vidro disse...

Também gosto de me sentir assim... "tenrinha". Porque isso significa que, para lá do cansaço, os sentimentos estão despertos. E a nossa permanente capacidade de nos espantarmos e interrogarmos. **

L. disse...

gostei muito :)

Arquivo