02/11/09

Bilhete para Pedro Almodovar


hei-de escrever um bilhetinho ao Almodovar
que lhe vá certeiro ao coração
que o deixe sem forças nas pernas
com as mãos trémulas e a voz embargada.
um bilhetinho simples e directo
com um bocadinho de perfume
dobrado na pontinha superior direita
escrito com a minha letra, a preto,
que reze assim:



olá, Pedro, olha..
se te encostares a mim
(e não penses com isto que sou louca desvairada)
e ficares em silencio
só a ouvir o barulho do arquivo do meu cérebro
durante 5 minutos,
vais ver que será o suficiente para ouvires
a quantidade incontável de histórias de mulheres
que nunca vou conseguir escrever.



Laura

6 comentários:

Graça Pires disse...

Pedro Almodovar não ia só só a ouvir o barulho do arquivo do teu cérebro, mas também o bater do teu coração. Quanto às histórias de mulheres, tenho a certeza que ele ia querer saber. Um poema muito original.
Beijos.

Unknown disse...

Lindo!

CNS disse...

E tanto, mas tanto que ele teria para escutar...!

miu disse...

eu adoro-a tanto *

Luis Eme disse...

de certeza que ele iria sorrir

e depois dizia:

«conta, conta...sou todo ouvidos».

PAS[Ç]SOS disse...

Consta que é assim que ele escreve as suas histórias...

Arquivo