28/01/11

Rapunzel

 
Phot. Tom Hines

pediu-lhe que a encontrasse na estação
e que corresse para ela
como num filme do cinema
como nos filmes da cabeça dela.
nesse dia sentia-se capaz de lhe pedir tudo
até que subisse pela janela
pelo lençol 
ou então pelos cabelos
(desde que subisse)
como naquele conto de criança da princesa que tinha cabelos compridos
e que se chamava Rapunzel.

2 comentários:

S* disse...

Romântico... não há nada como abraçar intensamente quem amamos.

Luis Eme disse...

há dias loucos, em que tudo parece possível...

Arquivo