20/09/11

fly me to the moon

Ela até conseguiria perdoar

se ele lhe cantasse ao ouvido o “Fly me to the moon”
e ela visse o verbo nos olhos dele.

Ela até conseguiria fazer de conta que não vira
se ele recortasse de um livro uma frase
que lhe deitasse por terra, a ela,
as reservas e os medos.

Ela até conseguiria voltar a ter um brilhozinho nos olhos
se ele respirasse como ela, a linguagem das coisas insignificantes e tão amadas
aquela linguagem dos equívocos e das coincidências
dos sítios especiais e das frases de filmes
das imagens e de frases musicais
de cidades e das frases dos livros,
a linguagem do amor que
quando se ama
se fala como se fosse a nossa 1ª língua.

a linguagem universal de certo amor
que na verdade não está ao alcance de muita gente.

phot. sam haskins

1 comentário:

Ana disse...

Ela até conseguiria perdoar se fosse Verdade o que lia nos olhos dele.

Arquivo