07/11/12

a escritora gourmet

escrevia histórias
e temperava-as com pitadinhas de virgulas, adjetivos, metáforas e comparações.
deixava ferver em lume brandinho mexendo de vez em quando
levantando o testo e absorvendo frases e didascálias.
ia regando conforme a prosa pedia
e conforme a poesia chorava.
depois servia em louça antiga de porcelana frágil
(louça inglesa ou francesa)
daquela que fica bem servida
...com Gershwin ou Jarrett
e com duas quintas.
e com essas palavrinhas por si cozinhadas
a escritora gourmet
deliciava convivas, família, público e deuses. 

1 comentário:

Anónimo disse...

a escritora gourmet chamada laura...

Arquivo