13/12/12

ARRAIOLOS STATE OF MIND

Quando faço arraiolos sinto-me a esboçar pensamentos numa sebenta.
Se calhar é porque quando iniciei o meu tapete estava numa fase de profunda ponderação e introspeção.
Desde aí, sempre que me apetece bordar, é um voltar ao estado de empatia interna e conversa intima.
Como se cada pontinho correspondesse a um pensamento.
Cada nova cor, uma conclusão.
Cada remate, um problema resolvido.
Quando faço arraiolos estou incomensuravelmente mais perto de mim.

Sem comentários:

Arquivo