28/12/12

desenhar-te


Desenho-te com a ingenuidade de uma criança que pela primeira vez pega num lápis.
Com curiosidade, com ganas de ocupar a folha toda.
Com falta de jeito. Com a boca seca. Com um nó na garganta.
O nó dos grandes acontecimentos.

Desenho-te com um brilhozinho nos olhos que o Sergio Godinho me emprestou.
Apenas porque, como sou criança,
posso demorar uma eternidade a fazer este desenho.
e posso aventurar-me a errar, pelo teu corpo.



Sem comentários:

Arquivo