29/06/12

 de uma maneira ou de outra,
phot. bu robert jaso

as palavras levam-me sempre a ti.

Embraceable You

Encontraram-se anos depois.

Já as faces eram pedra e o tempo erosão.
Mas os corações guardavam ainda partículas de tempos idos
em que as raras palavras trocadas haviam escrito grandes livros.
Ela estava velha, desusada e meia desfeita.
Mas guardava nos olhos um fio de juventude que lhe conferia ainda um pouco de luz.
Ele estava velho, desusado e meio desfeito.
Mas guardava nos olhos um fio de juventude que lhe conferia ainda um pouco de luz.
Então ela desferiu, sem medo,
porque há uma idade em que as pessoas deixam de temer seja aquilo que for:
- Então, vamos sair?
E ele anuiu, porque há uma idade em que as respostas, para certas coisas, deixam de ser não.
E foram juntos assistir a um bailado porque os seus corpos já não podiam bailar.
E tudo neles bailou principalmente as palavras e as mãos.
Bailaram os olhos e até os medos.
porque há uma idade em que o tempo escasseia e os medos passam a ser uma certeza.
 
para ler com isto... http://www.youtube.com/watch?v=kgJWV3QiP5A

28/06/12

as mulheres que leem
têm nos olhos vírgulas
e na respiração reticências.


fly me to the moon...

Honer Akrawi

Steven Lyon

tj scott

carl smith

mixed media fashion collages

27/06/12

Apaixonaram-se numa exposição do Pollock.


Ela contava os traços do canto superior direito, de um quadro.

Ele contava os sinais do canto superior esquerdo, das costas dela.

E fizeram-no sem mesmo antes terem ouvido a voz um do outro

ou de terem aferido

Ele – os sinais das costas.

Ela – os traços negros do quadro.

ho ryon lee (overlapping skirt-flirts)



Daniel Hachmann

vamos virar um sorriso do avesso?

26/06/12

german saez

Parem lá de falar no Cristiano Ronaldo!
um dia rapto-te
para brincarmos à "Bela Adormecida".
às vezes apetece-me ser adolescente para sempre.
Não percebo grande coisa de futebol mas há coisas que me irritam de sobremaneira. E essas sei perceber e sei discutir. E o que me irritou hoje foi ouvir o comentário do Platini a dizer que gostava de uma final Espanha-Alemanha quando.
Ora esse senhor devia abster-se de fazer este tipo de comentários.
Foquei irritada e tive comichão no nariz, que é o meu sinal de irritação.
E depois esbocei um sorriso; é que eu achava que esta coisa do futebol não me “tirava do sério” mas afin...al tira. E gostei de sentir isso. E ainda bem que tira.
Neste momento e nesta conjetura, qualquer vitória para Portugal é importante para reforçar qualquer coisa que se tem perdido nos últimos tempos.
Não percebo grande coisa de futebol, ainda não consegui perceber o que é um fora de jogo, mas rezo aos santos todos que conheço e acendo velinhas grandes e pequenas e desculpa-me lá, Platinizinho, mas estamos todos a torcer para que a final seja com Portugal.
Porque nós merecemos.

25/06/12

- Vens?

- Onde?
- Precisas de saber?
- Tenho de saber se… preciso de levar coisas…
- Não. Só é preciso que venhas.
- É o… costume?
- É… o costume.
- E como vai ser hoje?
- Logo verás…
- Ainda tens de me explicar isso de ir… um dia.
- Não tem explicação. Gosto.
- Eu sei.
- De que é que gostas tu, afinal? Nunca me dizes…
- Gosto de ver que tu gostas que eu vá…
- Onde?
- Onde me levares. Até onde me levares.
(in "crónica feminina")


mais vale só que mal acompanhado.

Henrietta Harris



Barry Yanowitz

Arquivo