29/08/12

Billy Kidd


o beijo dele

sabia de cor o beijo dele. mesmo não o tendo, sabia-o. sabia-o de cor.
a temperatura, a textura, o sabor, o toque da saliva.
o estremecimento do corpo quando as línguas se tocavam.
a dança delas, das suas línguas,
o arrastar do ritmo e depois o rápido e o urgente.
o ardor do peito com as palavras encerradas naquele beijo.
adormecia todas as noites a sonhar com ele.
sonhava que se beijavam em qualquer lugar.
num semáforo vermelho, na praia, no pingo doce
no 3c, no restaurante, no minigolf, no campo.
tinha o beijo dele na boca dele
porque isso era o molde do amor.
 

pfff

há muitos anos que os dias não me sabiam assim a dias.
há muitos anos que a minha pele não ficava tão escura.
há muitos anos que não tinha de ir comprar livros porque os livros me acabaram.
há muitos anos que não fazia 10 horas de praia.
há muitos anos que não me sentia assim.
segura. serena. satisfeita. preenchida.

20/08/12

cartas de amor

vou escrever-te uma carta de amor todos os dias
e depois ponho um bonezinho de carteira
e ponho asas nas costas
e uma sacolinha a tiracolo
e lá vou a cantar uma musiquinha
a galgar continentes
só para tas entregar em mão.
ah pois é.

ups

tão descontraída estava eu na Marina hoje, a tomar o meu café, a fumar o meu cigarro e a escrever no meu romace, que me deixei levar por ela, a heroína do meu romance, a Alice, aquela que me dá cabo da cabeça, aquela que me enfurece e me encanta que me levantei depois disso tudo e zarpei dali sem pagar.
e vieram duas meninas do café gordinhas a suar em bica atrás de mim, só lhes faltava a pistola e seguiram-me até à loja dos bikinis para me pedirem os 2 euros da conta...
eu, especada, meia corada, meia envergonhada, mas com um sorrisinho maroto nos lábios, pedi desculpa e lá paguei mas não me envergonhei muito porque não foi por mal
mas ainda bem que isto aconteceu porque é a Alice quem me faz isto
e isto é digno de figurar no meu romace...
às vezes já não sei se é a Alice ou é a Laura.
ou onde começa a Laura e onde começa a Alice.
ou onde é que as duas vão terminar...

livros

começar um livro para mim é um acontecimento.
pelo simples facto de que nunca sei como me marcará
como me arrebatará e como me prenderá.
por isso faço-o sempre com mãos humildes
e olhos sequiosos.
começar um livro para mim
é quase como começar um namoro.

19/08/12

continuo de mãos dadas com as minhas férias.
muito juntinhas.
como se fôssemos o mair amor uma da outra.

eu sei que os braços do amor são capazes de atravessar continentes.

o meu coração emigrou

18/08/12

laços e nós

tempo de estreitar laços, se é que isso é ainda possível
já que os laços que nos estreitam têm nós tão apertados
que humano algum seria capaz de os separar.
tempo de pai, mãe, manas,
tempo de ti.
tempo de ser feliz.



o mar e eu e eu e o mar

gosto que o mar me engula com a sua boca escancarada.
e gosto de pensar que entendo a linguagem dos peixes e dos pequenos animaiszinhos
que fazem amor com os meus pés.
gosto de entrar no mar a cantar uma cantiga inaudível: a cantiga da satisfação
e cantiga da menina destemida
que não nada lá grande coisa
mas que não tem, em circunstância alguma,
medo do mar.
ai se eu pudesse parar o tempo...

17/08/12

deixo-me invadir por cheiros, toques, água, mar, pais, serenidade e férias.
e feliz, caminho-me pelos dias.

15/08/12

eric cahan

the best is yet to come

piscina com a mummy, conversas mornas sobre livros, pessoas, estados de espírito.
o calor a embriagar-nos, a dança tonta das moscas e a água azul a convidar-me para mergulhar
 em dias mornos de puro deleite.
e tu, longe, prestes a viajar para milhares de kilómetros longe
a deixar-me no espírito uma serenidade
que quase tinha desistido de procurar.

11/08/12

holidays

finalmente. mas não deixo de aqui vir. não consigo.
quando não venho falta-me alguma coisa.
tempo de livros, escrita, sol, descanso,
manas, pais, minis e música.
tempo de reconstrução.
ainda bem que assim é.
que me reconstruo sempre
por achar que nunca chega.
porque só assim é que vale a pena.

herb ritts

qiu hao

qiu-hao

Kasey McMahon

herring & herring

10/08/12

arte em livros

rachaela she
Robert Tirado

Sergi Pons

Spanish Noir

quem disse que eles não têm gosto?

Still Life Photography By Gisel Florez
 quase a ir.
a precisar muito de.
a não querer voltar tão cedo.
phot. by Umberto Verdoliva

vou.

Arquivo