21/01/13

"A passagem do tempo exaspera e condensa qualquer tempestade, embora de início não houvesse sequer uma minúscula núvem no horizonte.
Ignoramos o que o tempo fará de nós com as suas finas camadas que se sobrepõem indistinguíveis, ignoramos em que é que nos podemos transformar. O tempo avança sigilosamente, dia a dia e hora a hora e passo a passo envenenado, não se faz notar no seu sub-reptício labor, tão respeitoso e cauto que nunca nos dá um empurrão nem um sobressalto."

Javier Marías in "os enamoramentos".

Sem comentários:

Arquivo