06/02/13

uma rapariga de alma morna

Sim, fiquei com a minha alma morna.
E uma rapariga de alma morna pode ser capaz de tudo.
De fazer um bolo só com os olhos. De escrever um tratado de amor. De fazer um doutoramento em carinho e outras coisas igualmente mimalhas.
Uma rapariga de alma morna não tem frio e não se importa se tiver que fazer sopa.
Uma rapariga de alma morna está-se marimbando para a camisola da seleção, que é preta e para a celeuma com o secretário de estado do empreendedorismo.
Uma rapariga de alma morna esquece-se que está com gripe e borrifa-se para a subida das taxas de juro.
Uma rapariga de alma morna lê a mil e escreve à velocidade da luz.
Uma rapariga de alma morna tem o “the way you look tonight” nas pestanas e o “moon river” nos olhos.
Uma rapariga de alma morna sente-se dona do mundo mesmo quando o mundo está tão mau.
E sente-se capaz, de se meter num avião de papel, e deixar-se ir.

3 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

só pode estar apaixonada....

:)

Laura Ferreira disse...

:))))

Anónimo disse...

morno sempre foi melhor do que frio e quente. gostei, prima. beijos, marisa

Arquivo