27/03/13

mesmo

apetecia-me rasgar o céu até lhe arrancar o sol.
nem que fosse à bofetada.

3 comentários:

Luis Eme disse...

a poética pode ser violenta, até para o céu. :)

(mas à bofetada ainda fazes mais buracos nas nuvens, Laura...)

Luis Rodrigues disse...

Continua! Aqui está a começar a funcionar, a chuva parou e já se vê o céu :)


Ps. Hip Hip!

Laura Ferreira disse...

Já tem a bochecha direita negra.
Agora vou passar à esquerda.

Arquivo