11/09/13

9/11


 Mudam os tempos.
Mudam os focos e as vontades.
Mudam as conjeturas e os contextos. As armas e as objeções.
Os discursos e os palcos....
Mudam os ecossistemas, os homens e as espécies.
Mudam os ventos, as marés, as arribas e as enseadas.
Mudam os hábitos as moedas as religiões e as taxas de juro.
Mudam os transportes, os telefones, as migrações e as pandemias.
Muda a sexualidade e a descriminação.
Muda o clima e a música e a arte e o índice de natalidade.
Mas há coisas que não mudam.
E que não se apagam.
E que ficam marcadas, na humanidade,
em forma de protesto silencioso, mágoa e incredulidade.

 

5 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

concordo...

:(

Laura Ferreira disse...

:(

jrd disse...

Já houve um Tempo em que o tempo nos exigia a mudança, hoje é essa mudança que necessita de um Tempo novo.

Hismindaway disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hismindaway disse...

Mas no meio de todas estas mudanças, a dor que hoje se sente, será apenas uma história contada quando o tempo suficiente passar. O tempo não apaga as marcas, mas apaga a dor que lhe foi associada.

Arquivo