09/10/13

porque é que

Porque é calçamos sandálias e não as usamos nas orelhas?
Porque é que não comemos historinhas com batatinhas a murro e grelos salteados?
Porque é que não podemos trincar batons e sapatos de salto agulha?
Porque é que usamos pontos finais no... fim das frases
e travessões no inicio dos diálogos?
Porque é que andamos ao sabor do tempo
e não andamos ao sabor do nosso calor?
Porque é que combinamos os sapatos com a carteira
e as palavras com o coração?
Porque é que o porque tem que ter uma resposta?
Ando com vontade de misturar tudo o que haja para ser misturado.
Mesmo que não possa e não deva.
Apetece-me agarrar no “poder” e no “dever” e mandá-los bugiar.

Sem comentários:

Arquivo