31/08/13


"Your mind is not a cage. It’s a garden. And it requires cultivating."

(lb)

adeus

escreveu-lhe, naquela noite, uma história de amor.
a mais definitiva.
a mais sentida.
e apenas numa palavra.
adeus.

our lives teach us who we are

salman rushdie

30/08/13

sim continuo

phot. by Jacques Henri Lartigue, 1930
 
continuo a brincar com as tantas lauras que há em mim.

29/08/13

não

ainda não é hora de fazer balanço das férias.
não, não é. apetecia-me, mas elas ainda não acabaram.
 


28/08/13


escolha

não sei qual escolha das duas de mim.
a que me faz cócegas nas palavras.
a que me faz escrever com riso contido de música.

encanta-me.

 
a pontuação de certas tardes.
a gramática de certas pessoas.

27/08/13

estou longe

mas este meu canto
é talvez dos maiores cantos de mim.

20/08/13

só vejo aquilo que me dá na real gana.


armários do IKEA

pois é. quem viu a praia da Falésia em Vilamoura e quem a vê.
outrora via-se gente normalzinha. famílias, grupos de amigos,
grupos de amigas, pessoas sozinhas.
hoje em dia e para além disso, também podemos ver armários do IKEA.
sim. armários.
aqueles rapazes / homens que passam horas no ginásio a desenvolver
uma musculatura jeitosa e bem caprichada,
a mim parecem-me mais bisontes,
e depois vão para a praia da Falésia,
besuntar os músculos inchados com óleo bronzeador que na verdade deve ser óleo de cozinha.
e em pé. sim, eles untam-se e ficam em pé, de mãos na cinta
e perna aberta.
de maneira que, na praia da Falésia, ao fim da tarde, se olharmos para o horizonte,
vemos dezenas e dezenas de armários gigantes, a lembrar bisontes na savana,
de perna aberta, cabelinho à Ronaldo, fiozinho de prata azeitona,
calçãozinho justo a deixar adivinhar o que nosso senhor jesus cristo lhes deu
e óculozinho de marca anzol comprado no chinês.
por isto tudo
é que hoje eu disse adeus à praia da Falésia
e converti-me, irremediavelmente, à praia de Loulé Velho.
e tenho dito.
 

19/08/13

e ela foi

e acontece que, quando menos esperava
ele apareceu-lhe, de chave na mão,
com uma mala ridiculamente pequena
mas com o coração cheio de trajectos
com estradas nos olhos e mapas nas mãos
com as pernas cheias de praias e o corpo a transbordar de enseadas.
e acontece que, como de todas as outras vezes,
ela foi.

com "r"

phot. by ferdinando scianna
 
revejo-me. reinvento-me. reservo-me.
e rio, rio sem parar.
 
 

pois

é, sim.
as minhas férias têm muitas casas, quartos, moradas.
cheiros, barulhos, palavras, sombras.
as minhas férias têm sido uma manta de retalhos de muita coisa.

16/08/13

férias

em férias descansa-se.
em férias morena-se.
em férias relaxa-se.
em férias lê-se.
em férias também se esquece muita coisa.
e algumas pessoas.
e ainda bem.
 
 
em

09/08/13

tão cansada que até vejo tudo ao contrário


uns

“Uns vão, uns tão, uns são, uns dão, uns não, uns hão de.
Uns pés, uns mãos, uns cabeça, uns só coração.”

caetano veloso

o que fomos

somos já quase e só
um reflexo daquilo que já fomos.

Dennis Hopper and Natalie Wood, 1956, during a showing of A Streetcar Named Desire

dia de estreia

dia de riso, de alma, de palmas.
dia de canto, de marias e joãos, de público.
dia de luz, de suor, de pessoas.
dia de teatro. do meu teatro.

08/08/13

hoje acordei com olhos de menina. e com coração de mulher.

conversas de joelhos

Conversavam muito, os joelhos de ambos.


Conversas intermináveis de pele, silêncios.

Pequenos toques, choques, suor…entre as duas superfícies.

Ele falava mais de cinema enquanto ela falava mais de livros.

Às vezes discutiam porque ele achava que o filme era melhor; ela era da opinião de que “o livro é sempre melhor”.

Afastavam-se.

O joelho dela era sempre mais amuado que o joelho dele.

Mas o joelho dele era mais brincalhão que o joelho dela.

Era sempre o joelho dele que tomava a iniciativa das conciliações.

Aproximava-se sorrateiro e deliciosamente sedutor e dava, no joelho dela, marradinhas apaixonadas e cheias de música.

E ela, deixava-se ficar pequena, sorria sem ele ver.

Arrepiava-se-lhe a pele dos braços e aquela pele fininha do pulso.

E, como gostava muito de música, envolvia-se na cantiga do joelho dele e deixava-se levar.

A cantiga de amor do joelho dele era, sem qualquer duvida, a melodia que ela gostava mais.

 

Marion Cotillard Johnny Depp Public Enemies 2009 Director, Michael Mann

A Lousa - O Ouro Negro


"A Lousa - O Ouro Negro", Texto e Encenação de Junior Sampaio... PEDREIRA DA MILHÁRIA - Campo - Valongo... Sexta e Sábado... 9 e 10 de Agosto... às 21:45...


ENTRADA GRATUITA... Apresentação Pública da Ação de Formação em Teatro 2013......

07/08/13

sinto-me assim. prestes a deitar alguma coisa cá para fora. e para sempre.


verdade.


3

cansaço. cansaço. cansaço.
férias. férias. férias.
sono. sono. sono.
teatro. teatro. teatro.
falta. falta. falta.
cada uma destas coisas tem uma continuação.
mas o meu cérebro partiu-a.
propositadamente.

Ramtin Zanjani. Dancer in the Dark

06/08/13

boca

“só hoje sabes boca


Que respiraste aqui? Não fales.

Beija brinca lambe

E embebeda-me.”



Luiza Neto Jorge




os homens não se medem aos likes.

05/08/13

escreverei até que a gramática me doa.

happy endings


com tudo


sim, vou com o vento.
sim, vou com as palavras do texto da peça.
sim, vou com agosto, a tempo, em contratempo.
sim, vou com as saudades.
todas. que são muitas.

02/08/13

porque hoje comprei uns olhos novos

dou, a mim própria, hoje
o prazo limite
para me deixar de merdas
e começar a ver.
com olhos diferentes.
hoje
entreguei os meus olhos de ontem a uma loja de penhores.
porque hoje comprei uns olhos novos.

eu assim assim e assim

esgueiro-me, rasteirinha, precisa, confusa, prudente.

deixei o meu coração em local incerto até sentembro.


D

é hoje é dia D. D é código.
de vez em quando tenho códigos.
hoje quero que este dia passe muito depressa
para me encontrar comigo logo na minha caminha
e namorar com o meu tempo e os meus livros e as minhas gatas.

01/08/13

nua

quando conseguir despir-me de tudo o que preciso


serei a mulher mais incrivelmente nua (e feliz) de sempre.

pano-me

desdobro-me. como pano.
tingo-me. como pano.
cubro-me. como pano.
rasgo-me. como pano.
e, dessa forma, muito gostava de me dobrar.

diamonds are forever


greta garbo, 1926

agosto

agosto é mês de férias.


agosto é mês de coisas muito boas.

mornas, livres, serenas.

e sobretudo verdadeiras.

Arquivo