30/10/13

então não

ela consegue, dizem-lhe,
ela consegue coisas, ela consegue atos,
ela consegue momentos, ela consegue termos e prazos
ela consegue fins e começos
ela consegue ser aquilo que quer ser em certos dias
e ela consegue deixar de ser aquilo que sempre foi.

canção do mar

gosto que o mar me leve
segredos, cançõezinhas e suspiros.

o meu coração

o meu coração
é o meu caderninho preferido
onde guardo as minhas coisas tão minhas.
tem capa vermelha, olhos de amêndoa e
também tem
caracóis nos cabelos das palavras.

29/10/13

dançar

dançar, dançar,
até que me doa o sangue
e até se acabarem os pés
até ver acabar tudo o que seja música
até esgotar todos os tempos...
 
do verbo dançar.
 

um dia encontro-te

num espasmo de alma
numa réstia de calma
na dobra do lençol
no emaranhado do meu cabelo
num fio de sono
numa sílaba
numa metáfora
no mindinho.
 
ou tão somente ao virar da esquina, quando vier de comprar pão.
 

maurizio marcato


seja o que for. o importante é que seja.


eu preferia

eu preferia
um daqueles caminhos impensáveis
onde tudo te acontece
(onte até te aparece o coelho da Alice)
onde há cinema noir a sair das gavetas
e onde há música a palmilhar a estrada....

onde o normal se trinca com os dentes
e o fabuloso se esgadanha com a vontade.
eu sou assim.
uma rapariga de cinema, dentes e vontades.

28/10/13

concurso público

vou abrir um concurso público
para adjudicar
a realização de várias empreitadas.
 
ao meu coração.

ai vou vou

vou escrever uma carta ao meu coração
a pedir-lhe
que escute mais a minha cabeça.

cozinha

Não gosto de picar cebolas
Não gosto de beringelas
Não gosto que os testos caiam ao chão
Não gosto de facas muito afiadas
Não gosto de mosquitos na salada
Não gosto de pegas e aventais...

Não gosto do ralo da banca
Não gosto que os tachos vertam
Não gosto de açordas e coisas com pão cozinhado
Não gosto de pensar “o que vou cozinhar”
Gosto de cozinhar às terças e domingos
E gostava de ter uma menina destas que cozinhasse para mim, todos os dias.

o que me dizem vocês que aqui costumam vir?

ando a pensar seriamente se devo por o Blog aberto a leitores convidados. tenho sido "roubada". sei que alternativa é registar tudo, mas enquanto não registo... o que acham vocês que também têm blogs?

27/10/13

e

 
e andamos
e domingamos
e ronronamos
e rimos
e vocês seguem-me
e eu sigo-vos
e somos, aos domingos,
as melhores amigas.

há pessoas que deviam ser proibidas de morrer.



guardo


eu guardo qualquer bocadinho
de qualquer coisa que goste
num bocadinho qualquer
n’algum bocado de mim.
phot. by Silvia Grav

vamos?


e se fôssemos varrer a feira
pintar a manta
partir a louça
e depois – e só depois de tudo isso –
íamos para casa ver o “antes do amanhecer”.

24/10/13

Apple, the universal fruit.


aqueles amores

gosto daqueles amores que tanto são tascas com bancos corridos
como restaurantezinhos gourmet.
gosto daqueles amores que escolhem à ultima da hora e palitam os dentes.
gosto daqueles amores que contam pelos dedos e passeiam os dedos por to...da a parte.
gosto daqueles amores de uma só nota ou sem partitura.
gosto daqueles amores de lápis e borracha e tentativa e erro.
gosto daqueles amores que são, só porque são,
sem pretenderam ser outra coisa qualquer,
e que por isso se podem transformar em qualquer coisa.

estava a passear pela blogosfera e dei um tumblr no teu blog.


22/10/13

lençóis

gosto de lençóis
que reconheçam a cantiga dos corpos
e que guardem:
a música da pele
capítulos de livros
mãos que procuram...
pés que se encontram
a viagem da respiração
o ronronar dos sonhos
e a dança dos cabelos.

gosto de lençóis.
porque são quem conhece melhor o nosso corpo.

21/10/13

hojes e ontens


porque é que há hojes
que têm tantos ontens?

diz-me tu

phot. by sam haskins
não sei, diz-me tu.
o que escolho?
o bico de um lápis,
um pincel de eye-liner
um disco de vinil
uma história inacabada...

uma pedra da praia da falésia
a memória da cor dos teus olhos.
não sei, diz-me tu.

porque se for eu a escolher, escolho tudo.

18/10/13

coisas pequeninas


só me apetece escrever coisas pequeninas:
que deem para meter na covinha dos sorrisos
e nas meninas dos olhos.

olha eu vou ali à lua...


olha:
vou ali à lua e venho já…

Se demorar, é porque lá
os sonhos são mais demorados
e os poemas se escrevem com os bicos dos pés.

mãe, hoje deixas-se ser todas as lauras que tenho cá dentro?


acho


gosto dos teus olhos de metáforas
da tua boca de vírgulas
das tuas mãos de verbos
e da tua respiração de reticências.

acho que estou apaixonada pela tua gramática.

17/10/13

16/10/13

mamã, faxabor

mamã
tiras-me deste filme, faxabor?
e pões-me num
em que haja
muitos gelados perna de pau...

pessoas justas
comentários assertivos
e muita
mas mesmo muita tolerância?

se puder ser perto do mar tanto melhor.

hoje é dia de teatro

hoje é dia
de pregar rasteiras ao corpo
de brincar à cabra cega com a razão
de saracotear os sentidos
de namorar com os músculos...
de atazanar o equilíbrio
de fazer de conta que somos estrelas de Hollywood.

15/10/13

a apanhar

os bocados de mim
que deixei para ti.

zangada com o meu coração.


abraços

Abraços,
apertados, pequeninos, perfumados,
demorados, repetidos, namorados,
honrados, eletrizantes, conectados,
mas sempre...
dados.

14/10/13

"er"

a convalescer
a reler
a reaprender
a antever
a não querer.
 
a crescer.

silence is golden.


11/10/13


tenho um palco e um camarim
em todos os cantos de mim.

10/10/13

pois

depois que me disseram que sou uma pessoa par
não tenho feito outra coisa senão procurar alguém
para jogar canasta comigo.

hoje

vou passar a noite
a ver-me de cima
como se me visse a primeira vez.

gosto

Gosto de passeios.
Nas costas.
Na costa.
Na areia.
No calçadão.
Nos cabelos....
Nas histórias.
Na baixa.
Na pele.

09/10/13



porque é que

Porque é calçamos sandálias e não as usamos nas orelhas?
Porque é que não comemos historinhas com batatinhas a murro e grelos salteados?
Porque é que não podemos trincar batons e sapatos de salto agulha?
Porque é que usamos pontos finais no... fim das frases
e travessões no inicio dos diálogos?
Porque é que andamos ao sabor do tempo
e não andamos ao sabor do nosso calor?
Porque é que combinamos os sapatos com a carteira
e as palavras com o coração?
Porque é que o porque tem que ter uma resposta?
Ando com vontade de misturar tudo o que haja para ser misturado.
Mesmo que não possa e não deva.
Apetece-me agarrar no “poder” e no “dever” e mandá-los bugiar.

08/10/13

eu gostava

Eu gostava de passear contigo nas rua das galerias de Paris
e depois jantar no Book
e depois dançar na rua
e depois dar-te um beijo....
e depois se quisesses mais alguma coisa logo se via.

07/10/13

de tanto

phot. by mark sacro
 
de tanto escrever sobre o amor
acabou por ficar sozinha.

ideias como pássaros

tenho ideias como pássaros
e como pássaros
piam,
voam,
rasam ...
e procriam.

costas

Gosto de costas.
Do toque do abraço.
Da nota da dança.
Da música da proteção.
Do cheiro.
Do veludo da pele....

Gosto de costas.
Era só.

vou ai vou vou

phot. Margaret Severn, from the January 1924 edition of Vanity Fair. Photo by Arnold Genthe.
 
Vou para casa pensar em coisas inúteis.
Mas estupidamente bonitas.

Arquivo