22/01/14

que me importa a mim

que me importa que as coisas não sejam direitinhas
eu quero é coisas curvas e confusas e bonitas de intrincadas
eu quero é coisas com a respiração cheia de coisas
e com poesia a escolher-lhes dessas coisas.

1 comentário:

Mar Arável disse...

... o equilíbrio

na assimetria

Arquivo