10/04/14

irmãos


IRMÃO (Lat. Germanu), s.m., Dádiva, bênção. Nome dado àqueles com quem temos uma ligação que se faz para além do sangue e da pele. Cheiro de familia. Caso sério de amizade. Brincadeira. Trocadilhos. Braço, perna, mão. Prolongamento do amor. Despertar do coração.
Aqueles que nos acolhem com trovoada e nos matam as aranhas quando temos medo.
Aqueles a quem contamos segredos incontáveis.
Aqueles com quem mastigamos conversas e saboreamos opniões.
Aqueles com quem ouvimos música, como se fosse (sempre) a primeira vez.
Aqueles que lêem as nossas sobrancelhas, rugas, dores de barriga e dores de coração.
Aqueles que nos dizem Sempre quando umas calças não nos ficam bem.
Aqueles que dão um abraço com braços, palavras e sabor.
Aqueles que são um bocadilnho filhos e um bocadinho pais.
Aqueles que têm um colo sempre, para nós.
Aqueles a quem damos a mão e sabemos como foi a vida inteira.
Aqueles que nos abrem a porta nos momentos mais dificeis e nos dão uma cama branca, lavada, com cheiro a paz.
Aqueles por quem fazemos kilómetros, choramos continentes e rimos o mundo inteiro.
Aqueles que nos ensinaram a palavra Incondicional.
Aqueles com quem vi o Corcovado pela primeira vez.
Aqueles que me fazem doer a alma, de riso, de espanto, de carinho de calor.
Aqueles que me transbordam o coração só porque o amor que sinto às vezes é demasiado para caber lá.

Arquivo