06/05/14

ai era uma mulher feliz

a mulher desajeitada escrevia de noite
porque não tinha tempo de escrever de dia.
a mulher de olhos tristes vertia no papel desgraças arranjadinhas
emolduradas em parágrafos interessantes.
a mulher escrevia até de madrugada
até o próprio silêncio se cansar
e ir dormir.
a mulher escrevia quilómetros de palavras
salpicadas com trejeitos e pontuação.
a mulher escrevia porque não sabia fazer mais nada tão bem.
e, na quietude da casa desajeitada, da noite triste
e dos parágrafos arranjadinhos
bem à sua maneira
a mulher era, ai era,

era uma mulher feliz.

Sem comentários:

Arquivo