10/09/14

protetores de nós

Assim como há protetores solares, e protetores de tudo
devia haver protetores de nós.
Alguma coisinha assim que se pusesse na pele.
Alguma coisinha assim que nos resguardasse do que nos amachuca e nos põe cinzenta.
Devia haver.
Pode ser que se invente.
Provavelmente já não será no meu tempo.
Caso tivesse filhos, agora era a parte em que diria “nem no tempo dos meus filhos”.
Enquanto não os há – os protetores – cá me vou arranjando como posso.
O canastro às vezes queixa-se, o queixo treme de mimo, as mãos suam e os pés enjeitam-se para dentro.
Cá me vou arranjando. Uns dias melhor outros menos mais ou menos.
Pode ser que se invente.

Sem comentários:

Arquivo