02/10/14

escrevia



Escrevia, cada coisa pequena que escrevia, como se de um abraço se tratasse.
Porque para ela, as coisas pequenas depois de prontas, deviam ser abraçadas.
Porque, para ela, as palavras lhes eram muito mas mesmo muito queridas.

Sem comentários:

Arquivo