20/01/15

dias sem histórias



arrumo as cedilhas e os acentos que se perdem das palavras que não te digo.
a o dia corre frio, lento e errático, para uma noite sem história.

Sem comentários:

Arquivo