12/06/15

a nossa casa casa

um dia havemos de morar numa casa casa.
uma casa com soalho meio torto
com uma varanda quente no verão
com quadros de muita vida nas paredes
e com as paredes da nossa casa cheias de vida.

um dia havemos de morar numa casa com móveis antigos
com ser viços de louça onde já comeram os nossos tanto nossos.

um dia havemos de morar numa casa com quintal
cão, gato, salsa, coentros, pintainhos e melros.

um dia
havemos de pintar as paredes da nossa casa casa

com o feliz do mais feliz que a vida nos ensinou.

3 comentários:

Graça Pires disse...

E ouvir a respiração das paredes e a brisa a entrar pelas frestas para acarinhar quem lá vive...
Gostei imenso do poema, Laura.
Um beijo.

Luis disse...

Onde há respiração respiro

Luis disse...

Onde há respiração respiro

Arquivo