15/12/15

Santos, cruxifixos, cigarros e jantares.

Tenho uma parede com coisas antigas, no meu quarto.
Um crucifixo com um cristo sofredor (como todos os cristos), que era da avó Lídia.
Um santo de olhos tortos que veio de mão em mão e passou a morar na parede das minhas.
Um nicho dado pela minha mãe, mais velho do que eu, que já albergou Nossas Senhoras de Fátima com olhos vidrados, quase humanos.
Em cima desse nicho, um santo Expedito pequeno… aliás o 5º ou 6º de uma série que a minha mãe me deu, cujas cabeças não sobreviviam às mãos da minha empregada.
Estas pequenas imagens acompanham-me as noites e imagino-as vivas, nos meus sonhos.
Ceamos todos juntos, numa mesa de madeira com uma toalha de plástico a cheirar a antigo.
Sento-me à mesa com eles e falamos de política, cultura e religião.
Temos vozes diferentes e palavras diferentes e opiniões diferentes.
Palitamos os dentes, tomamos um café e fumamos um cigarro.
Depois voltamos às nossas camas.
E eu, adormeço feliz parque gosto muito de companhia.
(Quanto mais não seja a da minha imaginação).

2 comentários:

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...


E eu a pensar que eu era a única que tinha sonhos estranhos :)

Beijinho :)

Laura Ferreira disse...

Nem imaginas os sonhos que tenho...
Já escrevi e montei várias peças à custa deles.
:) beijo

Arquivo