30/01/15

janela


preciso de uma janela
que me leve a um outro patamar de mim.
 




pois devia.

o amor devia ser sempre contínuo.

29/01/15

25/01/15

BLOG (roubo de textos)

Caríssimos,
Com grande tristeza minha, terei de fazer o que se calhar há muito deveria ter feito.
Ultimamente tenho sido alvo de roubo de textos e frases deste blog. Quem cá vem copia as minhas publicações e alegremente se entretém a difundi-las pelas redes sociais, sem que me sejam dados os merecidos créditos.
Assim, e a partir dos próximos dias, este blog passará a ser aberto apenas a leitores convidados.
Peço pois, a todos aqueles que pretendem continuar a seguir-me (e em quem eu confio minimamente) que me enviem, por e-mail (para laura.avelar.ferreira@gmail.com) o vosso endereço de correio electrónico para vos autorizar.
Obrigada a todos.

Até já.

23/01/15

arbustos e norteshopping

um trecho de uma historia de amor passada atrás de um arbusto
(mesmo que seja com os pezinhos de fora)
deve ser muitíssimo mais interessante
do que um trecho de uma história de amor passada por exemplo no Norteshopping.
também,
as bandas sonoras de trechos de histórias de amor passadas atrás de arbustos
devem ter bem mais pinta do que
as bandas sonoras de trechos de histórias de amor passadas no Norteshopping.
isto já para nem falar no que se diz ao ouvido
atrás de um arbusto
ou no Norteshooping.

definitivamente gosto mais de arbustos. a natureza encanta-me.

Norteshopping só mesmo para ir à Kiko comprar vernizes.

cura

apetecia-me inverter os meus 5 cinco sentidos.
dar-lhes a volta.
pô-los a falar francer e a cheirar em vez de ouvir
e a trincar em vez de ver.
apetecia-me fazer hoje uma coisa grande.
tipo descobrir a cura de qualquer coisa.
nem que fosse para os males dos idiotas que governanm este país.
embora eu ache que esses palermas não têm cura.

tenho a minha cabeça de pernas para o ar.


sexta

à sexta gosto de pensar que não preciso de fazer grande coisa.

tom ford


22/01/15

hoje e sempre

escrevo para que não doa.
escrevo para me sentir mais acompanhada.
escrevo para me vestir.
escrevo para me maquilhar.
escrevo para me perfumar.
escrevo para ficar mais bonita.
escrevo para fica rmais viva.
escrevo para por uma sandália de Primavera nesta tarde de Inverno
escrevo para não me esquecer de quem sou.
escrevo para não me esquecer do que já consegui.
escrevo hoje porque escrever hoje salva-me.
hoje e sempre.


infelizmente

hoje em dia.
pouca coisa me espanta.

21/01/15

tês

tenho tardes guardadas
em triciclos, tartes e tanto.

interior

o meu mundo interior
é tão intrincado e tão extenso
que nele me perco
a maioria das vezes em que me encontro.

dias há

 Jean Seberg, Lilith, 1964, Robert Rossen

há dias em que não encontro nada.

20/01/15

dias sem histórias



arrumo as cedilhas e os acentos que se perdem das palavras que não te digo.
a o dia corre frio, lento e errático, para uma noite sem história.

same

não gosto mesmo nada quando te esqueces de mim.

coisas

contigo aprendo tanta coisa.
a coisa das corridas. a coisa do levantar cedo.
a coisa dos lápis e dos carrinhos de pista.
a coisa do amor.

acho que esta coisa deve ser mesmo amor.
 


beijo-te ao contrário

beijo-te de todas as formas
até quando não estás.

19/01/15

vou passear com a minha imaginação


quem me dera hoje ser pequena para me caber em ti.


apre xiça



 (Created by Pixar for Vanity Fair.)

apre que bom que é poder ser adulta de dia
e miúda ao fim-da-tarde.

todas as vezes que te espero

phot. by Corrie Lejuwaan

é como se fossem a primeira vez.

bless this mess


16/01/15

Às vezes encontro o amor em sitíos que não lembra ao diabo.

phot. by Abelardo Morell




tenho quase sempre metade de mim

em cada metade de ti.

before you sleep

“Moments before sleep are when she feels most alive, leaping across fragments of the day, bringing each moment into the bed with her like a child with schoolbooks and pencils. The day seems to have no order until these times, which are like a ledger for her, her body full of stories and situations.” 

14/01/15

vidas




um dia hei-de fazer a vida de janelas, gatos, desenhos e admirações.
e esquecer horários, likes, labuta e contestações.

Arquivo