28/07/15

eu

que bom.
olhar para as minhas duas mãos e caberem-me, nos dedos todos,
tantos sonhos e projetos
(que ainda não fiz).
 


portátil

precisava de uma laura sobressalente.
e de uma marisa portátil, para trazer na carteira.

Sayaka Maruyama


23/07/15

Harper's Bazaar Germany August 2015


da paixão

que acorda comigo.
e que começa pela primeira letra do teu nome.
e se chama amor.

22/07/15

da psicoterapia e das coisas engraçadas dela

https://www.youtube.com/watch?v=jpH0RfWGTZQ&feature=youtu.be


Patrick Demarchelier’s ”Bodies of Desire”


hoje dormi depressa demais.

já estou acordada mas os meus sonhos 
ficaram no ontem.

21/07/15

mesmo sem tempo

voltei às séries de tv. como aqueles filhos que voltam à terra.
a tv abriu-me os braços e dei-lhe um abraço apertado.
depois fiz zapping como quem faz uma aula de aeróbica, com uma sofreguidão infantil.
e pousei arraiais numa série irlandesa. era a única que tinha começado há pouco.
embirro com coisas a meio. tudo. meias, refeições, cabelos, sapatos.
"amber". não tenho ainda opinião formada mas para já vou ficar-me por aqui.
mais vale uma "amber" na mão do que duas a voar.
céus, como gosto de ver séries de televisão.

falta de tempo

tenho saudades de coisas que nem sei se são coisas.
de brincar com a minha sombra, de desafiar o meu reflexo.
de gesticular com os meus sentidos.
conversar com as minhas outras lauras.

balenciaga.


20/07/15

frequentemente

phot by Jean-Pierre Larcher 

me frequento de outras frequências.
apetecia-me colocar o meu conta kilómetros a zero.


15/07/15

ando com vontade de viver de noite.

e dormir de dia.
troco-me assim as voltas
para ver se às vezes troco de mim.

14/07/15

shadow

o amor transformava-os
na sombra daquilo que já tinham sido.

into

phot Coming to light by Olavo Azevedo
 
já estou na luz.
quando assim é tudo é mais tudo.
mais luminoso, mais conforme, mais feliz.

mas há coisas, que vivemos nas sombras,
que deixam marcas profundas.
(e impossíveis de retirar).

13/07/15

tudo confuso.

tanto que até me confunde a mim.
 

sou


11/07/15

natura

gostava de me fazer de árvores, hoje.
para ficar a olhar, lá de cima, com olhos de vento e mãos de folhas.
para me respirar lá em cima e para me esconder dos pássaros.
gostava assim, de me sentir e de me ver assim.
árvore. terra. vento. azul.

linguagens

falavam com todas as partes do corpo.
em todas as línguas.
coleccionavam linguagens e silêncios.
e, juntos, inventaram a linguagem universal do amor.

07/07/15

hoje detenho-me nos detalhes.

phot by Inez van Lamsweerde / Vinoodh Matadin

06/07/15

pessoas

vou-me fazendo de tanta coisa.
mas sobretudo de pessoas.
gosto de me vestir bem.
mas gosto ainda mais de vestir-me de pessoas.
 


Arquivo