07/01/16

misturo (nos)



numa corrida contra o tempo, misturo-me com o tempo.
na minha cabeça misturam-se códigos, verbos, conselhos, mimos.
no meu colo misturam-se gatas, malhas, livros e relatórios.
quando me deito, ao fim da noite, encontro-me e encontro-te.
encontro o que é morno, sábio e seguro.
e nesse encontro misturo
os meus braços com os teus
as minhas pernas com as tuas
misturo o amor e o cabelo e o sono e o riso às escuras.

e é, nessa pequena partícula de tempo, ao fim da noite,
que me sei, infinitamente feliz.

4 comentários:

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

Ao ler-te lembrei-me do grande Chico. Fica aqui para ouvires :)

https://www.youtube.com/watch?v=_d6B8zHnz_I

( a letra é um assombro) :)

Manel Mau-Tempo disse...

bonito!

Isabel Pires disse...

Ser infinitamente feliz numa partícula é delicioso.

Laura Ferreira disse...

4º andar, que beleza, este Chico. Amo. :)


Manel, obrigada. :)


É sim, Isabel. Eu faço tanto por isso :)

Arquivo