20/01/16

rotinas

são tramadas, as rotinas.
instalam-se, abocanham-nos como carraças e às vezes é o diabo para as mandar embora.
preservo, hoje, algumas. as que me fazem bem.
e vivo-as quase alegremente, muitas vezes com a sensação de dever cumprido; muitas vezes com um bem-estar que decorre das coisas que nos são agradavelmente familiares.
tenho rotinas com as gatas, com a mãe, com a agenda, com a rádio nova, com o amor.
gosto muito das minhas rotinas.
estão maduras e simpáticas. dão-me palavras boas e abraçam-me.
deixam-me feliz e sossegada.
instalaram-se na minha vida para ficar. de vez em quando conversamos em privado para perceber se os limites continuam a ser respeitados.
até agora tudo bem.
não faço tenções de as mandar embora.
tenho aprendido, ao longo dos últimos anos, a preservar muito bem
aquilo que me faz muito bem.





4 comentários:

Luis Eme disse...

As boas sabem bem, agora as outras...

É a vidinha, Laura.:)

Laura Ferreira disse...

as outras são o diabo, Luís :)

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

Por norma não suporto a rotina. Contudo há cosias que gosto, as tantas é como o comentário que deixei lá em cima no outro post, por uma questão de conforto. Há rotinas que te deixam tranquila pois sabes se elas acontecem é porque está tudo bem. Serão essas as boas rotinas?! :))

Laura Ferreira disse...

é isso, sim. eu chamo-lhes rotinas porque as faço quase todos os dias. e fazem-me muito bem. :)

Arquivo