15/01/16

terapia, canal 1


Uma serie que dá no canal 1. Tema? Psicólogos.
Produção? Portuguesa.
Uma série muitíssimo bem escrita, dirigida e interpretada. Atores portugueses ao mais alto nível. Planos de camara bem elaborados, diálogos inteligentes e a vida como ela é, mostrada sem fantasias e utopias. Real. Crua.
Falaram-me dela na noite de fim de ano. Falaram-me bem. Eloquentemente e de forma emocionada. Fiquei com a pulga atrás da orelha.
Quando vi o primeiro episódio, fiquei agarrada. Fiquei feliz.
Por se fazerem destas coisas em Portugal. Por deixaram que alguns dos nossos atores possam ser efetivamente atores.
Não perco um. E na minha experiência como atriz digo, de boca cheia, quem me dera, algum dia, poder participar num trabalho assim.

4 comentários:

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

Olha, só vi um e tenho que colocar para trás na box e ver os outros. Só achei uma coisa, mas isso tem a ver com a minha experiência pessoal. Acho que o terapeuta faz perguntas a mais. Fiz há muitos anos terapia e uma das coisas a que fui habituada foi a poucas perguntas mas perguntas muito incómodas. Incisivas. Na ferida.

No que tu falas, o trabalho de actores e esforço em "entrar" nas personagens parece-me excelente. Vou tentar ver os outros :)

Beijinho e tem um domingo bom :)

Laura Ferreira disse...

tenho também experiência pessoal nisso (em curso)e partilho da tua opinião.
há diversas correntes da psicologia. a minha pertence à humanista, aquela que é centrada no cliente. penso que a da série também seja.

um beijo e bom fim-de-semana

Isabel Pires disse...

Também já vi pedaços dessa série e gostei pelos argumentos que utilizaste.

Há um tempo, numa das minhas consultas de psiquiatria, munida de um guião de duas páginas, disse ao médico: se não se importar, eu falo do que preciso, agradeço que me interrompa o menos possível, e depois no fim diz-me o que entender. Ele respondeu: "Chute daí... Se quiser podemos seguir essa metodologia mais vezes." Correu bem, fizemo-lo mais vezes.
Mas sei de casos que assim não funciona bem.

Laura Ferreira disse...

Pois, Isabel... Cada caso é um caso.
Também já fui munida de cadernos e depois as palavras falaram mais alto...

Arquivo