04/02/16

a(mar)-te


Gosto tanto, do mar.
Ou melhor, dos meus mares.
Do mar de férias, do Algarve, com quem tenho conversas até à linha do horizonte.
Do mar do Alentejo, que tem uma cor como nenhum outro.
Do mar do meu norte, que é possante e tem tantos olhos.

Todos os dias, antes de vir trabalhar, passo em frente a ele.
Todos os dias o olho e o encontro lá, com braços enormes, a palpitar de vida.
Todos os dias me assombra e me acompanha.
Todos os dias me perfuma os dias e acalma as horas.
Todos os dias o amo e lhe digo, numa cantiga surda,
que nunca poderia viver num sítio, onde não houvesse.
Ele.

7 comentários:

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

É a calma que nos transmite :) e aquela imensidão :)

Beijinho

Imprópriaparaconsumo disse...

Encontro tranquilidade até quando o mar está revolto :)

Cristina Sousa disse...

Olá Laura,

Para mim o mar é o meu elemento. Junto dele encontro a paz!

Um beijo

Eros disse...

Daí, desse Amor assolapado, ser crucial para mim duas coisas: viver na costa e ter vista para o mesmo!
Preciso de o ter por perto... É o seu sal que me tempera a essência.

Laura Ferreira disse...

:)

Era uma vez um Girassol disse...

Que lindo....
O sentimento é o mesmo... amor....
Pelo mar...

Laura Ferreira disse...

:)

Arquivo