02/02/16

policiais suecos e outros livros


Acumulam-se na mesinha de cabeceira.
Eu coloco-os numa ordem específica; a ordem pela qual os irei ler.
A Maria da Luz vem para limpar o pó e tira-os da ordem.
Sei que não tenho tempo para lhes pegar nos próximos tempos.
Não os arrumo porque gosto de os ter por perto. Às vezes cheiro-os. Outras vezes toco-lhes. Em todos me demorei e reli: a primeira frase.
Ao lado deles, o lápis de sempre.
Para sublinhar, anotar, ou só fazer desenhos na cama, com a ponta.
A todos destinei um tempo e um estado de espírito.

Os meus livros, por ler, prendem-me com nós invisíveis.
E dão-me um beijo de palavras, todas as noites.

2 comentários:

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

Também gosto do lápis por perto, de os dobrar e vincar :)

Não tenho é uma ordem específica e conforme o estado de alma.

Laura Ferreira disse...

:) é giro saber estas coisas.

Arquivo