17/03/16

à noite sou coisas que não posso ser de dia


Pudesse eu ir buscar, ao reino animal, algumas das coisas que dele fazem parte.
Asas, por exemplo.
À noite costumo voar.
Pairo sobre a minha vida, a casa, o meu corpo recortado no quase escuro.
E sou pássaro, anjo, demónio.

Sou coisas que nunca posso ser de dia, acordada, humana.


10 comentários:

Impontual disse...

Conhece a musica dos GNR «Asas»? É quase tão bonita como este seu estado de espírito nocturno.

Isabel Pires disse...

Laura, hoje ainda gostei mais de vir aqui.
Para além das palavras que escreveste, acho delicioso o arranjo gráfico que lhes deste. Fizeste um desenho com elas e ainda lhes juntaste uma foto linda.
A noite tem algo de muito diferente do dia, para o bem e para o mal.
Mas convido-te a fazer um exercício. Se já tiveste nalgum país que tem períodos só com dia e outros só com noite, é mais fácil. Como pensas que os habitantes fazem 'essa gestão'? O ano passado, em Junho, estive na Noruega e era sempre dia... Complicado para o nosso ritmo, muito cansativo, um aperto por dentro... A par de tanta beleza!
Beijos

luisa disse...

Tenho um sonho (que por acaso há já algum tempo não tenho) em que consigo voar. Quando o sonho é sempre mais ou menos igual. :)

Manel Mau-Tempo disse...

ia fazer a pergunta imensamente parva: o que são cois?

Laura Ferreira disse...

Imporntual, adoro essa música :)

Laura Ferreira disse...

Isabel, nunca estive e gostaria muito.
a Noruega, precisamente.
provavelmente iria viver 24 sobre 24 horas, para não desperdiçar nada, ainda que o meu corpo esteja ensinado e o relógio biológico nunca falha...

beijinhos

Laura Ferreira disse...

Luisa, que bom. é uma sensação do outro mundo...

Laura Ferreira disse...

M M-T ainda bem que fizeste pois havia um erro...
ao fazer copy paste metade do texto ficou onde não devia :)

obrigada pelo reparo!

Isabel Pires disse...

Laura, mas aquela separação do texto não era propositada?
Calhou-te tão bem o lapso. :)

Laura Ferreira disse...

não foi propositada, Isabel. Às vezes o inesperado surpreende-nos :)

Arquivo