22/03/16

enfermidade

o mundo está doente, muito muito doente.
é simples de ver. está aí, aos olhos de todos.
somos atingidos num ápice, somos tatuados de morte num tremular de vida
somos atirados para o dúbio, somos obrigados a existir onde não podemos
onde não seria suposto.

os homens do mundo, certos homens do mundo, estão doentes, muito muito doentes.
é simples de ver. está aí, aos corpos de todos.
atingem-nos, exactos e indevotos
sem norte sem pejo sem nada.


é tão espinhoso arranjar cura para esta doença.

é tão difícil encontrar as palavras para escrever sobre isto.

6 comentários:

Jorge disse...

Não há cura para esta doença...

Mar Arável disse...

O medo gera desespero

é preciso continuar a lutar contra o vento que faz

Laura Ferreira disse...

e acabar com isto de uma vez...
mas como?

Isabel Pires disse...

Laura, acredito que algo de bom acontece sempre, só que não é ao mesmo tempo.
E é preciso que não nos entreguemos ao desânimo. Só piora, porque paralisa-nos.

Laura Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura Ferreira disse...

o desânimo, na minha visão, faz parte, Isabel.
às vezes é preciso para se tomarem atitudes.
não consigo deixar de me preocupar com o mundo.

o que é o futuro das novas gerações?
e não falo só nesta temática...

Arquivo