09/05/16

coisas de vida a séio


dizem-lhe que no término da sua zona de conforto existe ainda um vasto areal onde a água não avança e o vento não chega e a desilusão não se habilita.
como é uma rapariga que gosta de bonanças, nunca se aventura além das circunscrições certinhas do referido areal.
ainda que saiba que mais além
o sol brilha com a intensidade de uma estrela fulgente
e o vento brisa com reverência e encanto
e a desilusão planta, nos rostos de quem aí vive, marcas de vida a sério,
daquela que vale (mesmo) a pena viver.

2 comentários:

luisa disse...

Atreve-te, digo por vezes para mim própria, atreve-te a pisar o areal. :)

Laura Ferreira disse...

eu de vez em quando já me aventuro... :)

Arquivo