19/05/16

um tirar-de-casaco-poema




a mulher que hoje tirou o casaco no meio da rua – e não era uma rua assim tão pouco movimentada – fez com que toda a gente, que estava naquela rua, ficasse a olhar para ela, embasbacada, literalmente embasbacada, sim, porque aquele tirar de casaco foi belo como um poema simples e intrincado como um quebra-cabeças. aquele tirar de casaco foi vento sul, foi lábios húmidos e soabertos.
aquele tirar-de-casaco-poema começou por um ombro desnudo e depois cruzou para o outro e prosseguiu, numa lânguida viagem, até ao pulso fino, deslizando pelos dedos longos, primeiro de uma e depois da outra mão.
o casaco ficou-se numa das mãos, inerte e exangue, porque ela e o corpo dela lhe tiraram a vida.
o corpo dela desfez-se depois em luz de veludo e os olhos de todos aqueles que ali estavam, naquela rua, colaram-se nele, no corpo dela, e por lá ficaram a passear, a deslizar ombro acima, ombro abaixo, dedo abaixo, dedo acima, mastigados numa cantiga de prazer, embriagados pela ventania interna do desejo.
a mulher que tirou hoje o casaco no meio da rua,
fez dos olhos de todos
prisioneiros do seu corpo-poema.

10 comentários:

Isabel Pires disse...

Lindo, Laura!
Sabes que assim que olhei para a foto pensei nos vestidos dos anos 30 do século passado? Época em que a moda elegeu as costas como o grande foco de atenção. Muitos vestidos eram confeccionados para serem vistos por trás.
Ando a estudar uma colecção...

Laura Ferreira disse...

Isabel, o meu sobrinho mais velho vai casar este julho.
e eu queria levar um vestido sem costas... :)

ana disse...

foste tu :)

Isabel Pires disse...

Laura, para um vestido sem costas resultar bem deve pelo menos obedecer-se ao seguinte:
- Não ser muito decotado na frente (quando se mostra muito uma parte, não se deve fazer o mesmo com outra; fica vulgar);
- A cintura e as ancas devem ficar ajustadas, acentuadas; Pode optar-se por alargar um pouco a partir das coxas como os modelos do tipo sereia;
- O próprio vestido deve ter caixa / sutiã incorporado para as mamas ficarem bem sustentadas e com bom ar.
Quando este modelo apareceu, na década de 30, também surgiram os sapatos do tipo pumps. Como é Verão, julgo que optaria por umas sandálias de salto, bonitas. Até podes adornar com fitas ou flores umas que já tenhas. Faço muito isso, conforme a roupa.
Ainda quanto ao vestido, podes optar por mandar fazer. Escolhes o modelo e o tecido e vais a uma costureira. Normalmente fica mais caro, mas será ao teu gosto e terás uma peça única. Já fiz isso para certas ocasiões.
Também há lojas de artigos em segunda mão onde se encontra peças menos vulgares

Marlene Dietrich foi um dos grandes ícones de beleza da época, como sabes. Foi muitas vezes vestida pela casa Dior.
(Em 1931 foi indicada para o Oscar na categoria de melhor actriz.)

Em termos temporais, o meu estudo incide sobre os anos vinte a cinquenta do século XX... E tudo começou com chapéus. :)

Mais alguma coisinha que eu saiba... Disponha. :)
Beijo

Laura Ferreira disse...

Ana, não fui :)
mas não me importava de ter sido!

beijinho

Laura Ferreira disse...

Isabel,
Que belas dicas me deste. Serão bem úteis, sim. Pequenos detalhes que acabam por fazer toda a diferença. Obrigada por isso!
Estou a pensar em mandar fazer numa costureira, já tenho algumas ideias.
Fiquei curiosa com o teu estudo. :) quando estiver pronto pode ser visto?
(se calhar estou a pedir demais... )

beijinho e obrigada mais uma vez.

Isabel Pires disse...

Laura, não é pedir demais. :)

O que posso agora adiantar, porque já está definido e anunciado, é que vai acontecer uma exposição na segunda metade de Julho (talvez com início a 23), que partiu de uma colecção de chapéus de senhora existente num museu e com datação provável das décadas de 20 a 50 do século passado.
A certa altura do estudo, entendi e propus que os chapéus fossem 'apenas' um motivo para contar e contextualizar, através da palavra, imagens e objectos, o que aconteceu no universo do vestuário/moda naquele período, permeado pelas alterações sócio-económicas e culturais.
Em traços genéricos trata-se disto... Talvez aconteça mais alguma coisa associada aos meus "Chapéus não há muitos"...:)

(Talvez tivesses pensado que se tratava de um trabalho académico que iria resultar em tese, ou de outro estudo a ser publicado.
Quem sabe se no futuro não acontecerá? :))

Beijos

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

Essa mulher irradia luz :)

(Isabel gostei imenso de saber)

Beijinho e um bom domingo :)

Laura Ferreira disse...

Pois Isabel, foi exactamente o que pensei.
Sendo um trabalho minucioso (pelo que me parece) e de enorme interesse cultural e artístico, porque não partilhá-lo :)

Gostava muito de o ver, caso possa, claro.
Vai dando notícias.
(adorei o nome)

beijinho e boa semana

Laura Ferreira disse...

VZd4, irradia luz e poemas. :)

beijinho e boa semana

Arquivo