03/08/16

do amor que os corpos aprenderam

Benoit Courti

esta noite quando me  deitei, já dormias.
curioso como tinhas uma das mãos, aberta.
pensei que pudesses estar à minha espera.
o amor tem destas pequeninas coisas gramaticais: o verbo, o pronome, o sinal de acentuação, o advérbio...

quando me deitei essa tua mão estendida procurou-me.
uma parte do meu corpo. um toque, só. 
e, quando coloquei na tua mão aberta a minha mão cansada,
fecharam-se as duas mãos em sono e lençóis e ficaram, entretidas,
a namorar o amor que lhes ensinámos.
 


6 comentários:

Impontual disse...

Que bonito soneto nocturno a duas mãos!

Isabel Pires disse...

Lindo, Laura!
As palavras e a foto.

cantinhodacasa disse...

Em resposta ao seu comentário no meu cantinho, claro que sim, até porque tem uma comentadora e blogger, Isabel Pires, que já foi a um dos encontros.
O "causador" das nossas confraternizações, encontra-se neste blog...uma jóia de pessoa.
Aconselho a visitá-lo.
Quando houver novo encontro, todos os blogs comunicarão, mas ele é o primeiro.
Beijinho

http://coisas-da-fonte.blogspot.pt/

Laura Ferreira disse...

Impontual que bonito o título que lhe deste :)

Laura Ferreira disse...

Isabel, obrigada.

Gosto que gostes. :)

Laura Ferreira disse...

Cantinho da Casa, conheço bem o blog da Isabel Pires, sou leitora assídua. :)
Muito obrigada pelo feedback.
Visitarei com gosto o blog cujo link foi partilhado.

Muito obrigada.

Arquivo