06/09/16

a mulher quase sempre

phot. Meagan Abell

Rói sempre a mesma unha.
Tem sempre a mesma obsessão.
Reza sempre a mesma cantilena.
Dói-lhe sempre a mesma dor, no peito, quando se lembra de certas coisas da sua vida.
O que vale é que o mar lhe parece diferente todos os dias.

1 comentário:

conta corrente disse...

E é mesmo, diferente todos os dias.

Arquivo