02/11/16

cemitérios turísticos

pelos vistos o Porto já tem. e fazem-se visitas à noite. ouvi este facto pela boca do grande Germano Silva, que quando fala do Porto é absolutamente delicioso.

até há uns anos atrás ia a cemitérios com o propósito único de cumprir com determinadas obrigações sociais, relacionadas com algumas pessoas.
nunca gostei particularmente destes espaços por não me identificar com o principio que têm subjacente.
além disso, em Portugal, sempre vi gente triste e escura nos cemitérios e isso era algo que me metia alguma impressão.

quando visitei o Père Lachaise, pela primeira vez, tive uma visão completamente diferente.
sei que falo de um dos maiores cemitérios do mundo e dos mais visitados; mas encantou-me a ordem, o verde, a história vertida em estátuas e a arquitectura do espaço; a curiosidade das pessoas, a vida a caminhar entre a morte.
se são os famosos que lá se encontram enterrados que chamam os milhões de pessoas que lá correm, todos os anos, que seja.
em parte foi isso que na altura também me moveu. nomes como Chopin, Piaff, Duncan, Proust.
estes e tantos outros, que ajudaram a criar grandes marcos na história universal.

3 comentários:

Mar Arável disse...

Os piores cemitérios são os dos mortos vivos

Laura Ferreira disse...

:)

luisa disse...

Têm história, histórias, e arte.

Arquivo