24/11/16

das árvores e das minhas pequenas coisas


Abro imagens e colho histórias, como frutos.
Suculentas, sadias, com cheiro a terra e a mãos.
Deixo que se desprendam: dos ramos mais altos das árvores, das flores mais envergonhadas e das sementes levadas pelos pássaros.
Virão parar-me às mãos um dia destes, num passeio, numa esquina, numa hora sem tempo.


Partilho agora convosco uma coisa bonita que me aconteceu ontem.
Na verdade hoje, de madrugada.
Vinha eu com o marido da Póvoa de Lanhoso, às 6 e meia da matinha, cansada, esgotada, esfriada, depois de 8 horas metida numa garagem a ajudar o meu mais que tudo a decorar um carro de corrida. Sim, não quis deixá-lo ir sozinho porque ele tem muito sono à noite e então decidi fazer-lhe companhia e ajudá-lo no que pude, que não foi muito.
Pois bem, esperava-nos uma estrada com geada, escura e fria, com o negro de boca escancarada, aberta para nos acolher.
Com o rádio sintonizado na Antena 3 (era das únicas estações que funcionava) dou por nós a ouvir um programa – Prova Oral – do Fernando Alvim, sobre árvores.
Bem, quando ouvi a temática do programa, fiquei logo curiosa. Quem é que faz um programa sobre árvores, ainda por cima de rádio?
Asseguro-vos que foi das viagens que menos me custou a fazer.

Em estúdio, os dois animadores do programa, vários ouvintes que entretanto decidiram participar e, um dos convidados – Susana Neves – autora do livro “Histórias que fugiram das árvores”, que nos deliciou com um discurso sábio e rico em deliciosos pormenores sobre árvores.

Fiquei feliz. Porque gosto de rádio, e porque a rádio se esquece tantas vezes.
Fiquei feliz por ter tido a sorte de ouvir este programa onde se discutiram temas tão pertinentes como por exemplo a reflorestação do território, o abate/cultivo de certas espécies em prol de interesses económicos e, volto a citar, tantas curiosidades sobre árvores, frutos, sementes, índios, países, viagens.

Dei por mim, durante a viagem a olhar para elas, as árvores. Embora escuras e imersas em frio, acenaram-me em silêncio e, frondosas, prometeram contar-me mais histórias, a partir desse momento.

Lembrei-me dos Senhores Pinheiros de casa dos meus pais (um manso e um bravo), que já foram pinheiros, meninos, de Natal e agora são adultos membros da família, a querer chegar ao céu, e deleitam, todos aqueles que passam na rua, porque são pinheiros felizes em todos os tempos do verbo. Apoderam-se dos olhos e das exclamações de vizinhos, famílias, crianças e ciclistas.

Quando voltar a uma livraria, vou querer desfolhar (e quem sabe adquirir) os livros dos dois convidados do programa – da Susana como já referi e de Pedro Castro Henriques – “Árvores Contadas de Outro Modo”.

18 comentários:

ana disse...

também fiquei curiosa...sabes que as árvores comunicam entre si, e, acredito, com quem se predispuser a senti-las. :)
beijo, Laura

conta corrente disse...

Sem dúvida que foi interessante. Eu ouço o programa muitas vezes em directo, pelas 19h, a caminho de casa.

Devias ouvir mais a Antena 3 (A3), é serviço público do melhor :)

Manu disse...

Contemplar as árvores é dos espectáculos mais bonitos que a natureza nos oferece, ouvir falar delas é coisa rara e sabemos tão pouco, por isso acredito que o programa te tenha encantado.
Muito obrigada pela visita lá ao meu canto.

Beijos Laura

Alaska disse...

Eu gosto de observar árvores. Gosto de subi-las, também. Fico tão próxima do céu... :) E, às vezes, abraçá-las. [sou uma criatura muito estranha, bem sei. :)]

Deixo-te um beijo, Laura. :)

Gaja Maria disse...

Serão com certeza livros muito interessantes, as árvores são fascinantes se as soubermos observar e até cuidar. Elas dançam, elas falam, escutemo-las :)

Miss Smile disse...

Há um livro muito interessante sobre a vida secreta das árvores ("The Hidden Life of Trees" de Peter Wohlleben). As árvores comunicam entre si, partilham nutrientes, protegendo-se umas às outras. Já as árvores solitárias vivem durante menos tempo.

Laura Ferreira disse...

Ana, sim, já li isso num sítio qualquer.
mas fiquei com vontade de ler mais :)

beijinho

Laura Ferreira disse...

CC, ouço muito, principalmente música, que intercalo com a Rádio Nova.
programas não tenho o hábito, mas acho que vou ouvir mais.

bom fds

Laura Ferreira disse...

Manu, obrigada eu.

Voltarei :)

Laura Ferreira disse...

Alaska, talvez por isso sejas especial.

deixo-te outro. :)

Laura Ferreira disse...

GM, encantam-nos, sim.
há que aprender a saber escutá-las.

beijinho

Laura Ferreira disse...

Miss Smile, já tomei nota.
obrigada pela dica.
bom fds beijinho

luisa disse...

Deve ter sido interessante mesmo! As árvores e as histórias que terão para nos contar... :)

Laura Ferreira disse...

Luísa, pelos vistos é uma lista bem longa de histórias e particularidades :)

CCF disse...

Também recomendo um livro: Rolando Teixo, de Pedro Bidarra. Seria um desafio colocá-lo em cena. Se bem que, segundo percebo, a Laura parta para os espectáculos a partir das suas próprias pessoas.actores...ou não?
~CC~

Laura Ferreira disse...

CCF, obrigada pela dica :)

vou ver, sim.

Bem, a minha preferência é essa: partir para os espectáculos a partir das minhas pessoas.
mas tenho vindo a lançar-me desafios e a pegar em textos de outros, para me obrigar a sair da minha zona de conforto.

estou, neste momento, a encenar "A casa de Bernarda Alba" :)

redonda disse...

Gostei muito deste texto, consegui ver-me em noites parecidas.

Laura Ferreira disse...

são tão boas, estas noites, Redonda :)

Arquivo