17/11/16

Vivien Leigh & Clark Gable in Gone with the Wind (1939)

sem dúvida, um dos filmes da minha vida.
ensinou-mo a minha mãe, quando eu era criança. se calhar nem tinha idade para o aprender. mas a minha mãe fê-lo numa linguagem que lhe vem do sangue, um verbo simples e sem maldade.
comecei pela roupa: os vestidos rodados da Scarlett; feitos com tecidos alegres ou tão somente com as cortinas. passei depois a admirá-la por outras razões: a elegância e o génio, a sobrancelha levantada e a obstinação. sem dúvida, na minha opinião, um dos tesouros de interpretação feminina do cinema, de todos os tempos.
aprendi também  a encontrar em cada personagem o porquê, o como, o tão; desde a mãe até à empregada.
fui crescendo sempre com este filme no espírito. encantada com a banda sonora, com a realização magistral, com a grandeza da história, dos planos, das emoções.
li o livro em adolescente e fiquei ainda mais encantada.

este filme é:
pais, irmãos, é a Scarlett a pegar num punhado de terra e dizer que nunca mais terá fome, é a Melanie a ajudá-la com um altruísmo avassalador, são lágrimas de adolescente - as primeiras que chorei com arte. é uma lição de cinema e uma lição de vida.
está-me rente à pele, no esboço do meu mais íntimo.
e ensinou-me uma das coisas mais importantes da minha vida, que uso desde essa altura:

"after all tomorrow is another day".



6 comentários:

C.N. Gil disse...

um dos meus filmes favoritos...

(mas já não o vejo há anos!)

:)

deep disse...

Também gosto bastante. :)

ana disse...

sem dúvida, Laura. a minha avó sabia-o de cor, todas as falas. vi-o várias vezes, e o que tenho na memória é também a cena de Scarlet com um punhado de terra de Tara na mão...e o resto tu sabes :)

Laura Ferreira disse...

CN, de vez em quando apanha-se na TV :)

Laura Ferreira disse...

Deep, é intemporal :)

Laura Ferreira disse...

sei sim, Ana.

também sei algumas deixas de cor...

Arquivo