12/12/16

da dores que têm de ser para sermos

phot. herbert list

Deixar-te ir vai ser difícil.
As razões desta dificuldade são tantas que me matam as palavras à nascença.
Mas há alturas nas nossas vidas em que a dor tem de se transformar em liberdade.
E a sobrevivência emocional passa a depender de uma serie de escolhas que nos obrigam a fazer.

Deixo-te ir.
Preciso de chorar, hoje, quando chegar a casa. Aninhar-me no meu calor e no meu corpo.
Arrumar as lágrimas e preencher o vazio com o cheiro da minha casa e de tudo que hoje ela me é.
Respirar fundo e encher o peito com um ar novo, que me ensine a respirar nesta vida nova.

7 comentários:

Impontual disse...


Live and let live.

Mar Arável disse...

Respirar sempre
mesmo por guelras

Gaja Maria disse...

Amanhã é um outro dia Laura. Abraço

CCF disse...

Essa sua forma de dizer já contém a sabedoria de saber que se alguém parte é por precisar de ir, essa tristeza já tem a alegria do que será depois.
Um abraço
~CC~

Olvido disse...

Não há como prender para não deixar ir. Temos de deixar ir, só assim poderão voltar inteiros.
Abraço

Laura Ferreira disse...

CCF, às vezes a tristeza nunca se apaga, quando são laços de sangue...

Laura Ferreira disse...

Olvido, sem dúvida.
obrigada pelo teu abraço.
outro para ti.

Arquivo