09/12/16

lema de vida


A vida ensinou-me a recapitular escolhas
a amadurecer decisões e paradigmas
a manter, perto, o que me faz bem e quem me faz bem.
a desistir do que me faz sentir triste e de quem me faz triste.

Não gosto de incoerências,
do que hoje é muito o do que amanhã já é, afinal, mais ou menos.
Do que sempre foi e do que hoje, afinal, deixou de ser, para daqui a uns dias passar a ser outra vez.

(Não, há certezas que deviam ser inabaláveis).

Foi um caminho tortuoso, às vezes sofrido e desiludido.
Mas hoje também estou mais forte
porque as escolhas que fiz (e que mo foram obrigando a ir fazendo)
fizeram-me indubitavelmente mais eu.

10 comentários:

S disse...

é sempre bom deixar para trás o que nos faz mal!

Alaska disse...

Também não gosto de incoerências.

Deixo-te um beijo, Laura. :)

deep disse...

Cada vez mais, Laura, procuro que os atos sejam coerentes com os sentimentos e as palavras. Também tenho tentado afastar-me de quem não me faz bem e, como tu, tenho-me sentido mais eu.

Bom fim de semana. Bj

Olvido disse...

É também aí, quando temos de fazer escolhas, que por vezes nos asseguramos de nós mesmos, que nos testamos às incoerências, que nos tornamos mais nós. Indubitavelmente. :)
Bom fim de semana

Laura Ferreira disse...

S, acho que finalmente aprendi :)

Laura Ferreira disse...

Alaska, um doce para ti.

Laura Ferreira disse...

Deep, será isso a maturidade...eu acho que em parte sim :)

beijinho

Laura Ferreira disse...

Olvido, sem dúvida.
os testes às incoerências também nos vão tornado bem mais nós.

beijinho

Gaja Maria disse...

As escolhas fazem parte, isso é crescer :)

Laura Ferreira disse...

fazem sim, GM.
mas algumas são bem difíceis...

Arquivo