02/12/16

a minha vida-tecido

phot.  by amanda rodriguez

moldei-me, uma vida, a determinadas coisas da vida.
descobri, já depois de grande,
que afinal ela – a vida – pode ser entendida como uma substância infinda de formas, cores, feitos, estratos, medos, texturas, sons, contendas, paradigmas.
descobri, já depois de grande,
que quero entendê-la como tecido:
palpá-la, cortá-la, cosê-la de maneira diferente
virá-la do avesso, remendá-la, aumentá-la
e – se preciso for – cortar dela o que é exíguo.
quero fazer da vida uma fatiota impecável, não só de domingo como diziam os antigos.
quero fazer da minha vida a roupa que me fizer (mais) sentir. 

14 comentários:

Mãe Maria disse...

acho que faz muito bem. Cada um deve fazer da vida, a sua, da melhor forma que possa ter o melhor encaixe possível.

Isabel Pires disse...

Tenho reparado que escreves com alguma frequência sobre a associação entre vida e tecidos... A vida a ser tecida. Bom!
Beijo e bom fim-de-semana!

conta corrente disse...

Tão bom Laura!
Obrigado

E eu também gosta da tua associação vida-tecidos-pele :)

Bom fim de semana

Manel Mau-Tempo disse...

usar a vida :) acho que vou fazer a trouxa

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, se ao longo da vida continuarmos e ser nós próprios com a consciência que, só nos aceita quem quer, o tecido do nosso fato é apreciado por ser o mais belo de todos.
Bom fim de semana,
AG

luisa disse...

Há que ter jeito para a costura. :)

Laura Ferreira disse...

Mãe Maria, sim, um vestido que me assente bem.
um beijinho

Laura Ferreira disse...

Isabel, sim, ultimamente tenho vindo a associar a vida com tecidos.
e descobri que gosto muito de o fazer. :)
beijinho

Laura Ferreira disse...

CC, eu fico contente que gostes.
bom fds

beijinho

Laura Ferreira disse...

M M-T faz sim.
um dia destes freto uma caminete e vamos todos :)

Laura Ferreira disse...

AG, pois é mesmo isso.
mas às vezes parece que nunca mais acabamos de o costurar. :)

Laura Ferreira disse...

Luísa, nunca tive muito.
mas raismepartam se não vou conseguir acabar esta fatiota :)

O Puma disse...

Sempre que a poesia quiser

Laura Ferreira disse...

quase sempre, Puma :)

Arquivo