03/01/17

ainda acredito

(autor desconhecido)


como em miúda,
que cada gota de água dos vidros das janelas
guardam a história que observaram, nos olhos de água e de vidro,
e cada um desses olhos pequenos
tem uma versão diferente dessa história
por exemplo em francês, ou em chinês,
ou com linguagem gestual
ou então quase nada, o silêncio em quase tudo.

ainda acredito que as coisas pequenas que me passam pelos olhos
continuam a ser
das maiores que a minha vida tem.


22 comentários:

Miss Smile disse...

E isso é um dom, Laura.

Um beijinho

ana disse...

eu também acredito, Laura :)

Isabel Pires disse...

Laura, pelas pequenas coisas de que se faz a felicidade, imediatamente ocorreu-me este poema da Cecília Meireles:


A arte de ser feliz

Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia
ser feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde, e, em silêncio, ia atirando
com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma
espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para
as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos
magros e meu coração ficava completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes
encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que
pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como reflectidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. Ás vezes, um
galo canta. Às vezes, um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar,
cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de
cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem
diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a
olhar, para poder vê-las assim.

conta corrente disse...

Laura cada vez mais, cada vez mais... as pequenas coisas :)

Alaska disse...

eu tenho guardado todas as folhas que vejo a cair dentro do meu coração. :)

deixo um beijo no teu coração, Laura. :)

Moonchild disse...

Sabes Laura, tenho aprendido muito nos últimos tempos...e acredita, são as pequenas coisas que fazem as grandes diferenças e é nas pequenas coisas que se vêem as pessoas!


Boa tarde

-___-

Maria Eu disse...

São muito mais profundas do que parecem, as pequenas coisas.

Beijos, Laura :)

luisa disse...

O segredo é esse. Continuar a acreditar. :)

Gaja Maria disse...

Acreditar sempre e fazer das pequenas, grandes coisas, todos os dias.

Manel Mau-Tempo disse...

e o que nã terão visto lá do céu, e nos rios, ou nos mares, em calotes, num chá... :)

Laura Ferreira disse...

Miss Smile, será? Às vezes penso que é uma coisa que me distrai muito da realidade :)

Laura Ferreira disse...

Ana, porque é que eu não me surpreendo nada com isso? :)

Laura Ferreira disse...

Isabel, obrigada pela partilha. É tão bonito :)

Laura Ferreira disse...

CC, podes crer. Isso sempre. :)

Laura Ferreira disse...

Alaska, que árvore bonita devem dar essas folhas... quem sabe na Primavera :)

um beijo, pequena miúda das coisas bonitas.

Laura Ferreira disse...

Moonchild tens razão. É sim. :)

Laura Ferreira disse...

Maria, e cheias de detalhes... parece que estamos sempre a descobrir mais e mais coisas... beijinho

Laura Ferreira disse...

Luísa há dias em que perco muito tempo com estas minudências :)

Laura Ferreira disse...

GM quando se consegue é tão bonito, não é? :)

Laura Ferreira disse...

M M-T e nas casas das vizinhas e dentro do MP3 :)

ana disse...

(Laura, desculpa mas eliminei o teu comentário ao Hury...)

Laura Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Arquivo