17/01/17

da pele marcada

(autor desconhecido)

tenho na pele marcas boas da vida
e marcas de vida menos boa.

certos tons de triste acumulo-os na pele, às camadas,
depois raspo-os com uma unha
e meto-os debaixo da torneira, para irem pelo ralo abaixo,
porque podem proliferar-se
e os tristes que proliferam atraem famílias inteiras  de tristes proliferados
e nascem sem concepção, como cogumelos.

quero guardar na pele apenas coisas contentes
e com eles fazer uma carreirinha de cousas joviais.

ontem uni com um lápis de seda
os sinais da minha mão esquerda
e esculpi uma estrada de coisas boas.
e foi com ela que adormeci.


18 comentários:

ana disse...

e eu sonhei coisas tão boas com quem eu não conheço, que só pode ser um prenuncio... :)
boa tarde, Laura, eu faço como tu, com a diferença que é debaixo do chuveiro que eu solto as camadas tristes da pele.

Isabel Pires disse...

Laura, mas olha que é bom saber-se guardar bem - ou seja sem dor que impeça o caminho - as coisas menos boas da vida. Tudo faz a nossa história. Também crescemos com as tristezas, os erros, os medos. Crescemos especialmente com eles, acho.
Gostei de te ler assim.

luisa disse...

A pele regista, sem apelo nem agravo, todos os dias de sol e todos os dias de chuva. Impossível escapar à erosão do tempo.

Mar Arável disse...

No mais íntimo da pele
Bj

Moonchild disse...

Sou achacado às sensibilidades da minha pele, talvez por isso não consiga deixar que a água lave as dores...

boa noite

Jaime Portela disse...

Há marcas boas e más...
Magnífico poema, gostei imenso.
Laura, tem uma boa semana.
Beijo.

redonda disse...

Gostei.

conta corrente disse...

Será possível a pele guardar tudo? Eu acho que sim.
Não convém esquecer o que vai para o rali, é a vida que nos faz com o bom é o mau.

Olvido disse...

A vida marca-nos a pele, depois de marcada, é a pele que nos marca de vida. Cada marca nos relembra, como um registo datado de um momento que ficou.
Bom dia, Laura

Laura Ferreira disse...

Ana eu bem ando a abocanhar os sonhos para ver se os decoro mas eles fogem-me a sete pés.

(bandidos)

Laura Ferreira disse...

Crescemos sim, Isabel e fazem parte de nós.
Muitos deles transformo-os em sinais bonitos.
:)

Laura Ferreira disse...

E é essa pele e esse tempo que nos tornam mais bonitas. :)

Laura Ferreira disse...

Mar. A dar à costa da pele.

Laura Ferreira disse...

Moonchild, é por isso que gostas de tatuagens :)

Laura Ferreira disse...

Jaime, muito obrigada.
boa semana para ti :)

Laura Ferreira disse...

Redonda, obrigada :)

Laura Ferreira disse...

A pele guarda tudo, CC.
É sábia e conselheira.

boa semana

Laura Ferreira disse...

Olvido, gosto da forma como escreves. Muito :)

Arquivo