01/02/17

entre mim


colagem de Waldemar Strempler

troco-me de sítio entre dentes
entre telas entre paredes
faço-o à noite em silêncio
com dedos de especiarias e sons minúsculos que me saem das pontas dos pés.
faço-o meia nua meia tonta meia eu:
viro-me para dentro e encontro-me no avesso
ponho a cabeça nos pés e o coração nas omoplatas
faço da saliva cabelos e da nuca inspiração.


preciso disso para me saber viva:
do caos, da trasladação.
só assim me sei viva
e me faço, inteira, em pedaços.

6 comentários:

Isabel Pires disse...

Laura, é importante que no caos ou do caos nasça algo.

Alaska disse...

E no caos nascem palavras com galáxias dentro. :)

Um beijo no teu coração, Laura. :)

ana disse...

agrada-me esse movimento e esqueço-me tantas vezes dele...:)

Laura Ferreira disse...

E que nasça bem, Isabel :)

Laura Ferreira disse...

Alaska, e com rastos de estrelas cadentes...

beijo menina da música

Laura Ferreira disse...

Ana podes sempre resgatá-lo; pertence-te, por direito :)

Arquivo