01/02/17

página que usurpa textos - "dá-me o prazer de entrar e sair nas pontas dos pés"

Chama-se "dá-me o prazer de entrar e sair nas pontas dos pés" mas devia chamar-se de outras formas.
continuam a plagiar e a gamar textos de Bloggers, alegremente, mas de forma muito pouco elegante e sem darem nota dos devidos créditos.
Ó meninas, faxabor de começarem a escrever uns textozinhos vossos. Pode ser? Há por aí tantos cursos de escrita criativa que vocês em quê, 3 dias, escrevem um romance de 400 páginas.
Não?... Pois. Dá trabalho, escrever, não é?
É preciso puxar pela cabeça e estar-se emocionalmente dedicado e predisposto. Pois é. É uma canseira.
Pela parte que me toca, podem gamar-me à vontade.
Vocês não têm pedal para gamar a quantidade de textos que diariamente produzo, fruto do meu trabalho e da minha dedicação.
Sim, porque para mim escrever é um trabalho árduo e muito digno.


apeteceu-me ser solidária com a Olvido.

19 comentários:

Alaska disse...

É muito triste, sim. Eu li o post da vi. É preciso ter paciência e amar as palavras. Às vezes perco horas à frente do computador só para escrever uma única frase. Só para alinhar a desarrumação dentro de mim. Enfim.

Moonchild disse...

Nem comento isso...há pouco tempo fiz uma pesquisa de "merdas" minhas sem assunto, que só eu percebo...enfim!!! Não é que por o nome do autor, nesse caso o meu, me desse algo, mas daí a responderem a comentários como se fossem os mesmo a escrever...


como dizes...puxar pela cabeça custa!!!


beijocas

-___-

Carla disse...

As postagens devem ter sido apagadas. O que li tem o autor ou não consigo relacionar.
Detesto estas coisas!

Isabel Pires disse...

Qual é o endereço?
(Vi uma com este nome, mas não dei com isso que dizes...)
"Podem gamar-me à vontade"? Não.

Laura Ferreira disse...

Isabel, procuras no FB, "dá-me o prazer de entrar e sair nas pontas dos pés"


Carla, ainda no mês de Janeiro puseram uma frase minha, sem créditos: dia 24/01, uma fotografia em que está um cão num sofá.

Alaska e Moonchild, é o que temos que aguentar.

Carla disse...

Fui agora ao FB, achei pelo menos um texto meu, sem referência, para além de ter usurpado letras de músicas que postei.
Deixei um comentário e uma reacção em ira.
Que parvinha! (ou inhas)

Laura Ferreira disse...

Carla, encontrei textos de muitas pessoas que sigo. Algumas identificadas, é certo.

Carla disse...

Tem montes de textos meus, poemas de outras pessoas mas que foram tirados do meu blogue, letras de músicas, imagens que fiz e até comentários que me deixaram. Isto só até dezembro, entretanto deixei de ler, mas fui comentando e deixando os links, porque o meu nome não aparece.

Também vi um texto do Impontual e da Malena. Se são blogues, é pelo menos decente pôr o link

Maria Eu disse...

Caramba! Nunca me dei ao trabalho de ver semelhante coisa! Pessoas tristes!

Beijos, Laura :)

Luis Eme disse...

Uma das vantagens de não ter faicebuque é todas essas coisas me passarem ao lado, Laura.

Mas é um bom rascunho da sociedade em que vivemos, em que a apropriação do trabalho dos outros parece a coisa mais normal do mundo.

Os medíocres são assim e as coisas vão piorar porque os últimos exemplos dizem que basta ter um escadote, gritar e mentir mais alto que os outros, para chegar a presidente da república ou a ministro.

Laura Ferreira disse...

Maria, eu também não, as coisas vieram-me ter às mãos :)

beijinho

Laura Ferreira disse...



Basta chegar a Presidente, Luís. :)

Na minha opinião, o FB tem muitas coisas positivas; faz-me ficar perto das pessoas que tenho longe. Isso para mim já basta.

Olvido disse...

Obrigada, Laura :)) eu ainda me indigno com estas coisas... Dá-me a volta ao estômago. Ontem não me calei, é o segundo blog que tenho que plagiam além de outros que nessa altura percebi e alertei, são reincidentes portanto...
Já vi que apagaram, além dos meus comentários e links, a publicação de que tenho o print screen no post que fiz no blogue... Onde se vê no histórico que onde tinham aspas (mesmo que sem autoria) tiraram e pronto, porque é deles...
Realmente não devem ter capacidade para mais... Só para copiar. Que tristeza...
Obrigada pela solidariedade, Laura :)

Olvido disse...

Carla, o mais provável é apagarem esses comentários, foi o que fizeram aos meus, e aliás agora nem posso pôr gostos ou comentar, enquanto pude pus gostos nas partilhas e comentários dos meus textos com uma conta que criei da olvido... Enfim

luisa disse...

É muito mau. Mas acho que é possível denunciar a página no próprio Facebook. É o mínimo que merecem essas pessoas sem escrúpulos.

Isabel Pires disse...

Estive a dar uma olhada pela página e identifiquei algumas dessas situações, assim como comentários a mencionar a intenção de denunciar, mas não entendi se tal foi feito.
Também já me fizeram isso, pelo fb, com fotos. Alguém que era meu "amigo" e até parte interessada no que as fotos divulgavam... Azar: foi à vida sem uma palavra, que eu só dou as explicações que entendo dever dar e a quem entendo merecê-las. E como só tenho coisas visíveis para "amigos", é mais difícil.

Por acaso já fui alvo de uma denúncia feita por um anónimo, mas que contestei e o fb deu-me razão.
Argumento: atentado ao pudor. O que motivou: uma foto da minha neta, quando tinha dois anos e meio, sentada de costas na praia, e nua.

O caso que relatam fez-me sorrir pela face contrária de que às vezes sou "acusada". Já me têm dito que dou cabo da estética com referências junto das imagens, textos... excessiva preocupação e assim. Neste caso prefiro pecar por excesso.

conta corrente disse...

é a pobreza da internet
desonestidade intelectual
nas redes sociais qualquer um pode ser grande... mas dai não passa.

Gaja Maria disse...

Que triste, que pobreza de espírito...

ana p disse...

Laura, já houve uma altura em que essa página todos os dias vinha ao meu blog fazer copy paste. Poemas e fotos. Deixei de escrever coisas minhas por causa disso. Fui lá reclamar, pelas minhas coisas e pelas de outras pessoas que conheço e leio, inclusive coisas tuas, mas apagaram os meus protestos e bloquearam -me. Gente sem imaginação
Beijinho

Arquivo